Redes Sociais

menu

BLOG

Quinta-Feira, 29.05.2014 às 09:35

Diferença entre textura e grafiato

Casa das Cores

 As paredes de uma casa podem ser revestidas por diversos tipos de materiais e acabamentos. Em algumas, como banheiro e cozinha, são colocados revestimentos cerâmicos, devido a presença de umidade (caso do banheiro) e a necessidade de lavar (caso da cozinha). Há também o tradicional reboco, gesso, textura e grafiato. Esses dois últimos tem sido bastante comuns em diversos tipos de construção e para as diversas finalidades.
Qual a diferença entre textura e grafiato?

As diferenças entre eles são basicamente no resultado aparente que eles demonstram, enquanto o grafiato é representado por aspecto de ranhura, a textura é mais diversa, podendo ser usada com aparência decorativa, texturizado ou arrepiados.

Veja abaixo um exemplo de uma parede com grafiato:

Entre as vantagens apresentados por textura ou grafiato podemos citar o seguinte:

Aspecto decorativo: Creio que a principal aplicação deles é no aspecto decorativo que se bem trabalhado poderá ajudar a melhorar o aspecto visual de um ambiente, seja uma sala, cozinha, quarto ou área externa. O grafiato é muito comum para fachadas, inclusive.

Contraste: Pode ser útil em ambientes muito estáticos e de cor uniforme, com isto ele poderá apresentar um bom contraste, especialmente quando pintado de cor diferente e complementar à usada do ambiente. Este tipo de recurso requer cuidados e deve ser feito com o auxílio de um profissional.

Controle de umidade: Muitas pessoas usam a textura ou o grafiato como uma estratégia para paredes em que há problemas com infiltração, pois suas características mais densas do que o simples reboco tornaria a parede mais resistente. Creio que o problema da umidade é mais complexo e quando possível o ideal é atacar a raiz do problema, mas de qualquer forma, pode ser uma ajuda.

Lavável: Também figura como vantagem o fato de ambos serem laváveis  e isto é útil para a limpeza interna ou externa.

Quinta-Feira, 29.05.2014 às 09:28

13 dicas para uma pintura mais fácil

Casa das Cores

 Se pensarmos bem, pintar uma divisão não é tão difícil como possa inicialmente parecer e, nos dias que correm, é um projecto decorativo que muitas pessoas estão a optar por fazer elas mesmo. Depois de conhecido tudo o que há para conhecer sobre tintas e pinturas, reunimos algumas dicas extra para facilitar ainda mais este processo criativo.

1 - Quando em dúvida relativamente às cores, já pode visualizar os tons que mais aprecia nas paredes da sua casa mesmo antes de as pintar. Como? Com os vários simuladores disponíveis online, já pode fazer o upload de uma fotografia do espaço em questão e, com a ajuda dessa ferramenta, experimentar todas as cores que quiser, recebendo um efeito visual imediato e realista.

2 - Duas latas de dois litros de tinta pode parecer pouco para pintar o escritório, mas talvez até não sejam. Para não cair no erro de comprar tinta a mais, sirva-se das calculadoras de tinta que também existem online, para não só poder determinar o orçamento adequado ao seu projecto, mas também para não gastar dinheiro desnecessariamente. Menos é mais… se faltar tinta, apenas terá de ir comprar mais uma lata.

3 - A não ser que vá utilizar pincéis novos, evite pintar directamente da lata para não correr o risco de danificar a tinta devido a um pincel sujo – neste caso, recorra a um tabuleiro de tinta. Se optar por pintar directamente da lata, aproveite esta dica: depois de retirada a tampa da lata, martele um prego na borda interior da lata até conseguir um furo e retire o prego. Agora, depois de molhar o pincel na tinta e passá-lo nessa borda, o excesso vai escorrer novamente para dentro da lata em vez de se acumular na borda, até verter por fora.

4 - Um trabalho de pintura é sempre facilitado quando se removem todas as tomadas, interruptores e outros acessórios de parede.

5 - Um pincel com cerdas inclinadas consegue absorver mais tinta do que um pincel com cerdas planas.

6 - Quanto mais áspera a superfície a ser pintada, maior deve ser o rolo de pintar.

7 - No caso da pintura não estiver a revelar-se homogénea, experimente o seguinte truque: verta um pouco de tinta para uma lata nova (ou para um tabuleiro limpo) e com recurso a um pouco de arame (de um cabide, por exemplo), crie uma espécie de ponte sobre a lata ou tabuleiro, fixando o arame na pega ou nos lados do recipiente. Depois, cada vez que molhar o pincel na tinta, passe-o de seguida nesse arame para retirar o excesso. Assim, o pincel transportará uma quantidade equilibrada de tinta, produzindo melhores resultados na parede.

8 - Para assegurar um projecto de pintura bem-sucedido, tenha algumas esponjas de cozinha novas (e descartáveis) para dar pequenos retoques na superfície ou espalhar um pouco melhor a tinta. No entanto, não exagere na sua utilização, uma vez que a tendência deste tipo de esponja é começar a desintegrar-se e, consequentemente, deixar a parede marcada.

9 - Na hora da pausa, ou seja, se vai deixar de pintar durante algumas horas, não necessita de lavar os pincéis, basta envolvê-los tal e qual estão em papel alumínio ou película aderente e colocá-los no frigorífico. Quando terminar por esse dia, siga o mesmo processo mas coloque-os no congelador durante a noite. Assim, não perde tempo com as limpezas, deixando-as apenas para o final do projecto.

10 - Sobrou tinta e não sabe o que vai fazer com ela? Não há nada mais simples e prático do que guardá-la – de preferência em locais pouco frios, mas sem ser junto a aquecedores ou exposto a sol directo – para daqui a uns meses aproveitar para dar pequenos retoques onde for necessário. Se não quer guardar a tinta, pense nas formas como pode rentabilizá-la: pintar aquela mesa velha que está no sótão, a porta da garagem ou a estante do escritório?

11 - A fita-cola é ideal para tapar tudo aquilo que quer proteger do seu trabalho de pintura – rodapés, tectos trabalhados, maçanetas, aros de portas e janelas... Embora mais cara, se optar por fita-cola de pintor tem a vantagem desta descolar mais facilmente e com o mínimo de danos possíveis. Caso escolha fita isoladora normal, mune-se de um secador, direccionando-lhe ar quente que vai ajudar a retirar a fita-cola eficazmente.

12 - Terminado o projecto de pintura, é necessário limpar os pincéis antes de os guardar. Pendure os pincéis sobre uma lata ou balde, enchendo-o com água ou solvente o suficiente para cobrir as cerdas. Deixe de molho de um dia para o outro, passe as cerdas por água e volte a pendurá-las para secarem e manter assim as cerdas estreitas. No caso dos rolos, retire qualquer vestígio de tinta antes de os lavar suavemente e deixe secar ao ar livre.

13 - Para poupar no tempo de limpeza, adquira tabuleiros descartáveis ou então forre o seu tabuleiro com papel de alumínio antes de enchê-lo com tinta – no final, basta deitar fora.

Sábado, 24.05.2014 às 17:48

Confira 7 dicas para pintar as paredes da casa sem erros

Site Terra

Quer mudar o visual da casa e não sabe como? Que tal trocar a cor das paredes? Se estiver disposto e quiser economizar, você mesmo pode ser o pintor. Para não errar, confira sete dicas mencionadas pelo designer de interiores Fábio Galeazzo em seu livro Pequenas Mudanças, Grandes Transformações - Soluções Criativas para Decorar seu Lar e Gastar Pouco (Editora Alaúde, 64 p., R$ 9,90):

1 - A lista de materiais conta com lixa n° 150, lona plástica, fita-crepe, rolo de pintura, caçamba para tinta, tinta, massa corrida, gesso, misturador, trincha e espátula;

2 - Para saber a quantidade de tinta necessária, é preciso calcular o tamanho da área a ser pintada. Meça a parede e multiplique pela altura do pé-direito (altura do chão ao teto). Em seguida, multiplique essa metragem pelo número de demãos (normalmente, duas a três). O resultado da equação determina a metragem total. Algumas latas de tinta indicam a área que aquela quantidade cobre. Os vendedores também podem auxiliar a calcular a partir da metragem a ser pintada;

3 - A cor da tinta na parede pode ficar diferente da que consta no catálogo. Antes de comprar uma lata, a dica é adquirir ¼ de galão e testar em uma pequena área;

4 - Forre o piso com a lona, retire os espelhos dos interruptores, cubra os móveis e proteja com fita-crepe as maçanetas, os rodapés e os batentes. Passe a massa corrida sobre a fita-crepe para impedir que a tinta penetre e use uma espátula para remover o seu excesso;

5 - Tampe os buracos superficiais da parede com massa corrida, usando uma espátula, e tampe os orifícios mais profundos com gesso. Deixe secar por 20 minutos e passe a lixa n° 150;

6 - Mexa a tinta com a trincha e pinte com cuidado uma faixa horizontal rente ao teto. Com um rolo, dê cor ao restante da parede seguindo sempre a posição vertical. Espere que a tinta seque totalmente antes de passar a próxima camada;

7 - Se quiser que a parede tenha faixas coloridas, trace-as com fita-crepe. Escolha uma cor para ser a predominante e alterne com tonalidades harmônicas ou branco. Comece cobrindo com tinta uma parte sim e outra não. Espere secar totalmente e retire a fita. Com uma nova tira adesiva, cubra delicadamente a borda já pintada. Pinte os espaços restantes. Um pincel fininho dá o acabamento entre as cores.

  • Anterior
  • de 2

  • Próximo
  • Sua busca deve conter no mínimo 2 letras.

    Preencha ao lado para

    receber os informativos

    Tete

    Redes Sociais

    MAPA

    DO SITE

    2014 © Casa das Cores

    Todos os direitos reservados